CORUJAS MAGNIFÍCAS

sábado, 23 de fevereiro de 2013





A Luz Que Acende o Olhar
                                                 Deborah Blando

A luz que acende o olhar
Vem das estrelas no meu coração
Vem de uma força que me fez assim
Vem das palavras, lembranças e flores regadas em mim


O tempo pode mudar
A chuva lava o que já passou
Resta somente o que eu já vivi
Resta somente o que ainda sou


A luz que acende o olhar
Vem pelos cantos da imaginação
Vem por caminhos que eu nunca passei
Como se a vida soubesse de sonhos que eu nunca sonhei


Vem do infinito, da estrela cadente
Do espelho da alma
Dos filhos da gente
De algum lugar
Só pra iluminar


A força vem de onde eu venho
De tudo que acende e a vida calada
Me olha, e entende o que eu sou
Tudo o que é maior
Vem do amor.


A luz que acende o olhar
Vem dos romances que viram poesia
Vem quando quer, se quiser, se vier
Vem pra acender e mostrar o amor que a gente não via


Vem como um passe de pura magia
Como se eu visse e jurasse que há tempo já te conhecia


Vem da luz que acende o olhar
Vem das histórias que me adormeciam
Vem do que a gente não consegue ver
Vem e me acalma, me traz e me leva pra perto de você
E me leva mais pra perto de você





2 comentários:

  1. Minha querida amiga, que bom gosto esta poesia da Deborah Blando!
    Viu que horas eu estou postando este comentário?
    Bjs,

    ResponderExcluir
  2. Minha querida amiga,
    Os preparativos para o lançamento do meu livro me deram uma trégua e estou aproveitando para passar por aqui e deixar um beijinho!
    Martha

    ResponderExcluir